sexta-feira, 20 de maio de 2011

Vencedor

Era uma balada quente. Bebida liberada, todos animadíssimos. Desde o início da noite, uma loira olhava, insistentemente, para Fernando. E ele devolvia os olhares, sem pudor algum.

Foi passando o tempo, e a festa ficava ainda mais quente. A dança e a pegação rolavam soltas. A loira continuava a flertar com Fernando. Chamava-o, com o dedinho. E, atiçado por aquele jogo de sedução, ele foi ao seu encontro.

Chegou bem pertinho, falou meia dúzia de bobagens típicas dessas ocasiões, e tentou beijá-la. Ela refugou. Afastou-se para dançar com suas amigas. Mas continuou fazendo aquele joguinho peculiar.

Um tempo depois, ela estava bem mais soltinha. Beijou um outro cara. Mas continuava flertando com Fernando, e chamando-o. Sempre que ele se aproximava ela, então, se afastava. E ia beijando mais e mais caras.

A noite toda passou nessa tônica. Fernando vidrado na loira. E a loira, brincando de gato e rato com Fernando. Ela beijou até boca de bueiro. Mas com Fernando, era nananinananã. E Fernando, logicamente, foi cansando daquilo.

A festa já estava no fim, e a loira encontrava-se na área de fumantes com suas amigas, provavelmente tomando um fôlego para beijar mais uma centena de marmanjos. Fernando, por coincidência, também estava lá. Era um momento derradeiro. E ele, decidido, abordou a moça:

- Oi! Me diz só uma coisa... Qual é o teu nome?
- Oi... Daiane.
- Daiane, eu só queria te agradecer por essa noite. Você beijou tantos, mas tantos caras, que estou me sentindo muito especial por não ter lhe beijado. Tô me sentindo um vencedor, um cara muito foda, exatamente pelo fato de não ter ficado contigo. Sou um privilegiado. Muito obrigado, de coração.

E ela, perplexa, atônita, visivelmente constrangida perante as amigas, que ainda estavam ali, saiu, sem falar nada...

2 comentários:

Rafa disse...

Uaaau...ela tentou fazer charme,mas no final acabou sendo uma péssima escolha.
Se ele ficasse com ela,seria mais um. Ele nao tendo ficado com ela,se manteve longe de sapinho e de uma qualquer.
Não sei se a história é verdadeira ou um conto,mas ficou bem legal

=* Rafa

Bruno Mello Souza disse...

Oi, Rafa!

Que bom que gostaste!

Estás convidada a sempre visitar o blog e, quando quiseres, comentar!

Beijos.