sábado, 7 de maio de 2011

Saudade

A saudade bate forte. É a presença da ausência. Uma única ausência. A ausência. Ausência que incomoda. Ausência que machuca.

As tentativas de pensar em outras coisas, por mais importantes que estas sejam, são vãs. Minha mente e minha alma estão invadidas pela saudade. Cada hora do dia, cada dia da semana, dirigem-se apenas àquela presença da ausência.

Será que ela está pensando em mim? Será que ela também está sofrendo? Será que ela também quer estar comigo nesse exato momento?

Com a presença da ausência dela, sinto-me fraco. É como se minha vida e o próprio mundo fizessem sentido somente com a segurança que só a presença dela me dá.

O ponteiro gira, brigo com o relógio, com o calendário, brigo comigo mesmo. Vivo uma luta interior sob o império inabalável do amor que sinto por ela. Transbordo minhas emoções em silêncio. Ninguém percebe.

Aquele sorriso tornou-se o combustível de minha vida. Por mais que eu tente transparecer vigor, por mais que eu tente me distrair, sinto-me parando.

Penso em cada palavra que ela me disse até hoje. As que me fizeram chorar permanecem como um triste e angustiante pano de fundo. As que me fizeram sorrir guardo com afeto, cuidadas como cristais de alegria e de esperança, tola e ingênua talvez, de que dias melhores virão, ao lado dela, dona dos momentos mais lindos da minha vida.

Rezo absolutamente todas as noites, pedindo aos céus uma única coisa, mesmíssima coisa sempre, que confere, a mim, o significado de tudo. Com ela ao meu lado, posso ser tudo. Sem ela, apenas caminho desorientado, numa fatigante busca por nada.

2 comentários:

Anônimo disse...

Seu Blog é bem legal !!!!!
Adorei a saudade, também sofro muito com saudade, e quanto mais saudade sinto, mais eu amo pessoa .

Bruno Mello Souza disse...

Olá! Que bom que gostaste do blog! Estás convidado(a) a sempre visitar e, quando quiseres, comentar!

Abraços.