domingo, 8 de maio de 2011

Gre-Nal pra curar a ressaca

Não há dúvidas de que o Gauchão triplicou de importância para a dupla Gre-Nal depois das eliminações dos dois clubes da Libertadores da América, no meio de semana. Talvez não tenha relevância e impacto histórico: é mais um Gauchão, nada mais do que mais um Gauchão. Mas tem inegável importância conjuntural.

Inter e Grêmio apostaram muitas de suas fichas na Libertadores. A eliminação nas oitavas, precoce para quem desejava vôos maiores, exige uma resposta dos clubes às suas torcidas. E não há ocasião melhor para isso do que o confronto direto, e a conquista de um título.

O vencedor voltará a ter paz e um pouco de alegria. O perdedor certamente passará por uma forte turbulência. É esse o poder do grande clássico: arrumar a casa, ou bagunçar mais ainda. Por isso, o Inter tem que reagir muito rapidamente.

É óbvio que a frustração da derrota na Libertadores é absolutamente atordoante. Mas o time é bom, tem um grande treinador, e, portanto, não pode se desesperar. Tem que impor seu futebol frente ao Grêmio. Como fez no domingo passado.

Tenho certeza de que, apesar do mau momento, o Inter está no caminho certo. E chegará mais forte do que nunca para a disputa do Brasileirão, um campeonato que não conquista há 32 anos, e também da Recopa e da Copa Audi (que venha o Barça!).

Nenhum comentário: