quinta-feira, 26 de maio de 2011

Acima das nuvens

Estou no céu. Sinto a vida como um sonho divino e acolhedor. É uma dádiva. Acima das nuvens vejo o quanto talvez tenha perdido tempo. Acima das nuvens tudo é claro e faz sentido.

Como um pássaro livre, alcanço novos horizontes. Minhas projeções não são mirabolantes. Acima das nuvens, encontro respostas. Acima das nuvens, os problemas são tão pequenos perto da imensidão do céu, da vastidão da Terra, dos significados mais simples da arte de viver! Acima das nuvens, sequer precisamos de soluções. Está tudo resolvido por si só. Estar vivo é fim em si mesmo.

Então, me vejo novamente criança. Já não preciso de poder, de riqueza, de vitórias banais. Acima das nuvens, tudo isso é minúsculo. Meus olhos curiosos apenas buscam a beleza e a vida de cada detalhe presente. Vivo para respirar. Respiro para poder sorrir.

Carrego comigo novas saudades de velhos amores. Renovo antigos sonhos, deixo minhas tristezas no filtro. Sinto nostalgia do amanhã. Observo, esperançoso, um futuro claro, lindo e simples, de campos verdes, flores coloridas, vivacidade nos olhos das crianças, e meu amor ao meu lado, oferecendo-me sua doçura em troca do mais intenso e transbordante sentimento que tenho para lhe oferecer. Estou vivo e banhado pela luz do sol. Aprendi a respirar.

Nenhum comentário: