domingo, 17 de abril de 2011

Uma outra atitude

O magro 1 a 0 do Inter sobre o Santa Cruz foi um placar mentiroso. Na primeira partida sob o comando de Paulo Roberto Falcão, o colorado foi outro time em relação ao que vinha sendo com Celso Roth. Ainda apresenta falhas. Mas já se viu o dedo de Falcão na atuação da equipe.

O Inter atacou o tempo todo. Mesmo quando fez o gol, não se percebeu, em momento algum, a já famosa síndrome do "faz o gol e recua". A equipe colorada foi intensa, dominou todas as ações, criou oportunidades, manteve a bola em seus pés, e fez o adversário correr atrás. O Internacional se impôs, e fez prevalecer sua superioridade técnica.

Também foi notável a ideia de compactação proposta por Falcão. Não poucas vezes, vimos os volantes Guiñazu e Bolatti desarmando na intermediária ofensiva, propondo assim contra-ataques curtos e, por isso mesmo, extremamente objetivos.

Até Andrezinho, que dificilmente joga bem quando inicia uma partida, esteve soberbo. Atuando quase como um ponteiro direito, deu o passe para o gol de Damião. Esteve atuante em todos os momentos ofensivos. D'alessandro também teve ótima atuação.

Exatamente pela imposição da equipe em campo, a defesa foi pouco exigida. Mas, ainda assim, dá arrepios. Melhorou sem Índio. Porém, ainda parece ser o calcanhar de Aquiles do time. Por isso mesmo, a imposição apresentada deve se repetir ao máximo. Quanto mais o colorado tiver a posse de bola, quanto mais atacar, mantendo a redonda longe dos arredores da defesa, menos esta será incomodada.

Agora, os pensamentos voltam-se para o jogo contra o Emelec, na terça-feira. Jogo importantíssimo. Vale a classificação na Libertadores, e a manutenção do sonho do Tri. É o primeiro grande desafio da Era Falcão.

Nenhum comentário: