quinta-feira, 14 de abril de 2011

Faixas

Faixas e cartazes são um negócio engraçado. Os erros que vejo em alguns são próximos do absurdo. Ou melhor, são absurdos mesmo.

Todo dia, quando me dirijo à faculdade, me deparo com uma faixa que diz "Vendo está propiedade". Já vi trocentas vezes. Mas sempre, sempre, paro três segundos,fecho os olhos, medito, e penso: "Que porra é essa?" Pode ser a oferta mais tentadora do mundo! Jamais vou comprar um imóvel com uma faixa dessas. Talvez por isso mesmo até hoje o dono não tenha conseguido vender "está propiedade". Dói nos olhos. Se o cara não sabe fazer uma faixa, vai conseguir fazer um contrato decente?

Aí podem dizer: "Ah, vai ver que o erro foi do sujeito que pintou a faixa". Nesse caso, eu perco as minhas esperanças na humanidade. O cara que faz a faixa não pode "achar", muito menos "achar" algo tão esdrúxulo. Pessoas que pintam faixas deviam ter um dicionário. É como o martelo para o carpinteiro. A chuteira para o jogador. A camisinha para a prostituta.

E o pior é que acho que esses caras nem suspeitam dos seus erros. Eles terminam a faixa, olham para ela, e lêem: "Vendo está propiedade". E pensam: "Putz! Como não vi isso antes? Que absurdo! Ficaria muito melhor em vermelho! Agora já era. Vai ficar preto mesmo..."

A burrice em si não é tão assustadora. O que assusta é que essas pessoas nem sequer suspeitam que sejam burras. Cometem erros esdrúxulos. Mas com convicção! Isso é o pior.

No meu bairro, tinha uma carrocinha que não vendia xis burguer. Vendia "xis burgue". Ainda assim, o negócio cresceu. Talvez o pessoal sentisse pena do dono. Virou uma lojinha. Mas o "xis burgue" continuou lá, e agora com letras garrafais. Se bobear, até tinha um neon piscando. Só pode ser licença poética. Só pode!

Passando de ônibus hoje pela manhã, vi que uma "casa de moças de vida fácil" mudou de direção. Estava uma enorme faixa estendida, dizendo: "Sobre nova direção". Até onde eu saiba, a direção fica acima. O negócio, abaixo. A direção manda no negócio. O negócio é guiado pela direção. Logo, aquele puteiro devia estar "Sob nova direção". Ou então é algum tipo novo de empreendedorismo. Talvez as prostitutas mandem nos cafetões. Vai saber. No mundo do sexo, as posições podem variar das formas mais malucas. Vide Kama Sutra. Talvez assim aquela faixa grotesca faça algum sentido.

Uma outra casa dessas, que fica na mesma avenida, por sinal, abria vagas: "Procura-se garçonetes dançante". Porra! Talvez o Lula seja o cafetão. Agora, fora da presidência, pode se dedicar mais ao negócio: "Companheiras garçonete: nunca antes na história desse puteiro..."

Estou ficando muito preocupado. Essas faixas e cartazes com erros absurdos estão se proliferando. Talvez eu abra um negócio no ramo, corrigindo esses absurdos. Amanhã mesmo vou providenciar um cartaz grandão para colocar na janela do apartamento: "Fasso revizão de portugueis para faichas".

2 comentários:

Rafael disse...

genial. parabéns.

Rafael

Bruno Mello Souza disse...

Obrigado pelo comentário, Rafael!

Abraço!