quinta-feira, 24 de março de 2011

Na porta giratória

Piii... Piii... Piii...

- Seu segurança, já larguei a chave e o celular.
- Deve ser algo que você tenha na mochila.
- Tem um guarda-chuva. Pronto. Larguei.

Piii... Piii... Piii...

- Poxa... Será que é essa calculadora que tá acusando no detector de metais?
- Talvez. Largue aí também.

Piii... Piii... Piii...

- Puta merda... Não sei mais o que pode ter de metal aqui.
- Posso dar uma olhada na mochila?
- Sim, olhe!
- É... Aparentemente não tem nada. Tenta passar agora.

Piii... Piii... Piii...

- Ai, ai, ai...
- O senhor usa piercing?
- Não.
- Mostre a língua.
- Aqui ó... Viu? Não tem nada.
- Levanta a camisa.
- Você acha que eu tenho piercing no umbigo?
- Se não tem, mostra.
- Tá bom, tá bom... Satisfeito?
- Bom, tenta passar mais uma vez...

Piii... Piii... Piii...

- Eu só quero pagar uma conta! Só isso!
- Peço a colaboração do senhor. O senhor tá complicando as coisas.
- O quê? EU tô complicando as coisas?
- Coloque o dedo na goela.
- Hã???
- Coloque o dedo na goela e vomite.
- Mas... por quê???
- Quer colaborar ou não?
- Tá bom... Uuurrrllllsh.
- Tá aí!
- Hein?
- O senhor comeu feijão. Feijão tem ferro.
- Não acredito nisso... Posso entrar agora, pelo menos?
- O senhor queira se retirar. Sua camisa está toda vomitada. Seria incômodo para os demais clientes. Peço a sua colaboração. Não acha que já fez bagunça demais por hoje?

2 comentários:

Karla disse...

muito bom mesmo
adorei
http://karlaveras.blogspot.com/

kkkkk
hussaaasussa

Bruno Mello Souza disse...

Oi Karla! Obrigado pelo comentário! Realmente, portas giratórias são um problema... Hehehehe.