domingo, 13 de março de 2011

Altruísmo

Religiões e alguns dogmas políticos, que por sinal muitas vezes se parecem com religiões, pregam o altruísmo. Pense no outro! Sejamos iguais! Todos somos filhos de Deus! Ou membros do mesmo partido! Na verdade, o altruísmo completo é uma lenda. E, se não é completo, ora, não é altruísmo.

Política ou religiosamente, tudo nasce e morre no indivíduo. Ele só age "pelo outro", ou por um modelo político-social pensando no outro, se isso vem em seu benefício, direta ou indiretamente.

Muitas vezes, ouço argumentos como "ora, que bobagem, eu faço o bem sem ganhar nada". Este é um raciocínio rasteiro e superficial. As pessoas que fazem o bem na religião, o fazem para ganhar uma casa no céu. Ou para minimizar o déficit na balança do julgamento final. Se a religião pregasse que o altruísmo, ou o "fazer bem ao próximo", leva a um lugar ruim, o inferno, queria ver quem ia "fazer o bem"! Nesse caso o próprio conceito de "bem" mudaria. Sim, porque o bem é o que Deus prega. Se Deus pregasse o assassinato e o egoísmo, tenham certeza: estas pessoas matariam e seria o ápice do egoísmo. É mais cômodo delegar o senso de justiça, de certo e errado, para terceiros. Então, se fazer algo que o indivíduo considera ruim é bom para Deus, ele o faz! Tudo pra ficar de bem com o chefe.

Dogmas políticos vão na mesma direção. Em alguns setores, têm um caráter parecido com o da religião. A bíblia é "O Capital". Deus é Marx. E Jesus Cristo é Lenin. O bem é o comunismo. A busca, o bem comum, o altruísmo de diluir o indivíduo numa sociedade de iguais. Claro, com uns mais iguais que outros.

E olha que aqui fala um cara que se considera esquerdista! Mas tenho consciência de que não há "A Verdade" na política, de que isso é uma escolha que varia de pessoa para pessoa, de que não existe "O Bem" à esquerda e "O Mal" à direita. E de que, se eu gostaria de uma sociedade diferente da atual, é porque EU acho isso melhor, porque EU e os MEUS teriam chance de viver melhor, e não porque isso é um bem que paira no ar e sobrepuja minha individualidade em nome de um mundo melhor por si só. Um mundo melhor só o é na medida em que seja melhor para mim também.

No fim das contas, o fato é que todos desejam um bem que desemboque em sua existência individual, de uma maneira ou de outra, mesmo que o neguem até a morte. Seja para ir para o céu, melhorar sua condição material junto com a de outros, minimizar riscos de ser ameaçado pela violência de pobres revoltados com sua situação, ou mesmo apenas ficar de bem com sua consciência, que é sua, só sua. Altruísmo completo não existe. E, se não é completo, já deixa de ser altruísmo. Simples assim.

Nenhum comentário: