sábado, 9 de outubro de 2010

Imundos

Aqueles covardes pensam que podem tudo.
A imundice da calçada reflete suas atitudes.
São vermes que devem ser pisados.
Pensei em empalar suas cabeças.

Apenas cuspi naquelas caras.
Estão esmagados como patê.
Bichos escrotos que contaminam o ambiente.
Suas bocas sangram, dentes no chão.

Eles achavam que estariam impunes.
Agora mastigam as fezes dos cachorros.
Enquanto eles choram, vou às gargalhadas.
Pervertidos malditos, vômito incerto.

Enquanto eles abusam, você se cala.
Até quando deixará tudo como está?
Peles espremidas até sangrar.
O jogo está bem divertido.

Nenhum comentário: