domingo, 24 de outubro de 2010

Importante, pero no mucho...

O Gre-Nal deste fim de tarde no Olímpico vai definir significativamente as trajetórias de Inter e Grêmio na sequência do Campeonato Brasileiro. A vitória significa a possibilidade do colorado continuar sonhando com a taça. Para o Grêmio, significa a entrada com força na luta por uma vaga na Libertadores do ano que vem, Libertadores para a qual o Inter, lembremos, já está classificado.

Mas o jogo, por outro lado, se tem essa relativa importância, além do óbvio componente de ser um clássico, não é assim tããão importante para o lado vermelho. Não que eu não queira que o Inter ganhe. Quero muito. É sempre uma delícia ver o Inter ganhar do Grêmio. No Olímpico, calando 50 mil azuis, então, nem se fala. Podendo enterrar o sonho gremista de estar na Libertadores, ainda... Seria sensacional. Entretanto, excluindo-se o fator rivalidade, e se pensando "holisticamente", o peso não é tão grande.

Suponhamos que o Inter perca (toc, toc, toc) o clássico desta tarde. Tudo bem, o título brasileiro iria para o brejo. Mas, se a sensação de perder o título nacional não é exatamente "boa", num ano em que o Inter ganhou um Bi da Libertadores, garantiu vaga automática para a próxima, para a Recopa, e vai disputar um Mundial Interclubes, não é uma tragédia. O colorado está fazendo uma campanha razoável no certame nacional. E está administrando, bem, um ano de exceção.

D'alessandro está corretíssimo quando afirma que o grande foco é o Mundial. É o maior título que um clube pode ganhar! Neste ano, fomos pela segunda vez os maiores do continente. E poderemos ser os maiores do mundo, novamente, em dezembro. Claro que queremos ganhar mais um Gre-Nal e aumentar ainda mais a avassaladora vantagem vermelha nos clássicos. Mas se não ocorrer, temos que lembrar que a temporada já está ganha. E, de lambuja, pode ser ainda mais espetacular no final do ano.

Nenhum comentário: