sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Choques de realidade

Caminhamos feito zumbis.
Decidiram nosso destino por nós.
Nos enganaram o tempo todo.
Pensávamos que tínhamos vida própria.

Agora, tudo é esquizofrenia.
Exibição patética, eles lambem a imagem no espelho.
Portas fechas, eu quero ir embora.
Sou a aberração que berra por dentro até estourar.

Sigo como cogumelo, eterno cogumelo.
O palhaço odeia quando as crianças riem.
Sangue sugado, gotas caem no travesseiro.
A sorte é que ninguém ouviu.

Festa dos cadáveres vivos, dançando e putrefando.
Planeje o que lhe deixam planejar.
Subtraia a si mesmo de sua vida.
Espere a manada esmagar seu corpo.

Ingênuos, ainda damos nosso melhor.
Tudo é inútil, esforço vão.
Os vermes que comerão nossos miolos não se tornarão mais sábios.
Então vamos dar um vexame e nos divertir um pouco?

Nenhum comentário: