quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Indefectível

Sua pirâmide não serve para mais nada.
Exposto, cortes na cara, prepare-se um pouco.
Chegou a hora de se arrepender.
Mostre como foi sodomizado.

A banda parou de tocar agora.
Ouça o silêncio de seus atos.
Aprecie os corpos atirados no chão.
Cante à capela para satisfazer seu ego.

Sua solenidade é patética.
Não me importo mais com os quadros na parede.
Os enganos todos estão límpidos.
As crianças comem terra lá fora enquanto você se admira no espelho.

Bom garoto, traga o osso logo.
Apenas não me suje com suas patas.
Coelhos e cartazes estão espalhados por aí.
Estou surdo e em chamas.

Ri baixinho enquanto você gaguejou.
Se sente suficientemente pequeno agora?
Finja mais um pouco antes de chorar pelos cantos.
Brinque mais um pouco em cima do seu tabuleiro.

O ápice era só uma mentira.
Arranque seus olhos de uma vez!
Os cegos enxergam muito mais.
A vida é um quarto escuro e aleatório.

Nenhum comentário: