quarta-feira, 7 de julho de 2010

Uruguai

Foi comovente a atuação da seleção uruguaia contra a Holanda, na primeira semifinal da Copa. Torci bastante pelos nossos irmãos sul-americanos, e senti profundo pesar com a derrota ao final do jogo, derrota um tanto injusta, na minha modestíssima opinião. A Holanda foi beneficiada com um gol em impedimento, num momento em que a partida estava empatada em 1 a 1, o Uruguai estava seguro, e não oferecia chances para a equipe laranja. Depois desse gol, a coisa desandou, e a celeste levou o terceiro. Ainda houve um último suspiro com o segundo gol uruguaio, mas, apesar da pressão maluca de cerca de dois minutos, os destinos das equipes já estavam selados. Holanda finalista. O bravo Uruguai buscará agora a honrosa terceira colocação no certame.

Gostei muito da participação da celeste olímpica nesta Copa. O desacreditado Uruguai voltou às cabeças, se superou num dos grupos mais complicados da primeira fase, passou de forma espetacular pela seleção de Gana em jogo que parecia perdido, e só caiu nas semifinais, contra a forte Holanda, por causa de um erro comprometedor do bandeira. O Uruguai foi gigante, teve alma guerreira, jogou com o coração.

Como é bom ver a volta triunfal do futebol de uma seleção tradicional, bicampeã do mundo e bicampeã olímpica, que estava esquecida, amargurada, largada a um papel de melancólica coadjuvante nos últimos anos! Confesso que fiquei emocionado com a campanha uruguaia nesta Copa. Víamos em campo um time coeso, unido, batalhador, que se não tinha muitas fontes de qualidade técnica (que se resumiam aos ótimos Forlán e Luis Suárez), dividia cada bola como se fosse a última, e mostrava que entregaria tudo em campo pelas vitórias.

Domingo, a Copa terá um campeão. Algo me diz que será a Holanda, embora eu ache que a seleção que pratica o melhor futebol, disparado, é a da Alemanha. Há ainda a Espanha, que eu defino como irritantemente eficiente. Um destes três times conquistará a taça no próximo final de semana. Mas o grande vencedor desta Copa, já é, para mim, o Uruguai. Que esta campanha lhe dê força para se firmar novamente, e de uma vez por todas, entre os grandes do futebol.

Nenhum comentário: