terça-feira, 13 de julho de 2010

A hora da superação

Vejo você fraquejando, meu amigo.
Não se deixe levar pela derrota antecipada.
Levante e ressurja.
Faça tudo valer a pena.

Quando disseram que você cairia, você não se rendeu.
Seja a praga indesejada até o fim.
Só assim poderemos comemorar.
Fique preso só mais um pouco.

Dê apenas um passo de cada vez.
Mas não pare, mesmo em carne viva, você ainda tem pés.
Ninguém disse que não haveria dor.
Tanto já passou, pense que até hoje você resistiu.

Se te deixaram vivo até aqui, agora só resta infestar isso tudo.
Enquanto houver chama, vença os pingos da chuva.
Você é um verme persistente que me deixa orgulhoso.
Tudo isso passará logo, insista em sorrir.

O máximo ainda não chegou.
Vá passando pelos pedregulhos, você pode.
Bata na muralha até sua cabeça abrir e sangrar, mas tente quebrá-la até o seu fim.
No fim das contas, estaremos mortos, mesmo.

Nenhum comentário: