sexta-feira, 30 de julho de 2010

Cicatrizes

Tranque-se na gaveta mais próxima.
Não espere por mais nada, não se iluda.
Este jogo tem as cartas marcadas.
Aprenda a aprender que o fim é sempre o mesmo.

De que adiantou sonhar se você ainda está aí?
Te olham de cima, de cima eles resolvem sua vida.
Debaixo dos edredons você estará mais seguro.
A ingenuidade machuca seu estômago.

À sua volta só existem coisas podres.
Cheire o lixo que contamina o ambiente.
Você quer mesmo rastejar por aí?
De uma hora para outra, você adormece profundamente.

Jogue seu coração pela janela antes que alguém o pegue.
Você sabe que é o melhor a fazer.
Aqueles dias são só seus, e somente você sabe o que passou.
Não se engane em compartilhar isso e despertar gargalhadas alheias.

Nada disso tem graça.
Somos palhaços de nariz preto.
Palhaços são os seres mais tristes.
Brinque um pouco mais com esta lâmina, talvez isso valha um tanto de satisfação.

As cicatrizes são abertas, cortes profundos ressurgem.
Coloque sal e limão, coloque álcool nesse sangue.
Lembre-se de que você não quer voltar para as noites infernais.
Erga o nariz e apenas se divirta.

Sua estupidez um dia vai matá-lo.
Você está perdido em terreno conhecido.
Só pode estar maluco ao andar por aí.
Mas siga em frente, machuque-se de novo: mas pelo menos faça isso ter algum sentido, por favor.

Nenhum comentário: