domingo, 20 de junho de 2010

Para fechar torcedor e time

A vitória da seleção brasileira neste domingo sobre a Costa do Marfim foi muito emblemática. É como se hoje, apenas hoje, o Brasil tivesse estreado na Copa. Hoje, a seleção teve espírito, cara de Copa do Mundo, ao contrário da burocrática e insossa partida contra a Coreia do Norte.

Foram imensas as dificuldades no primeiro tempo contra a seleção africana. Mesmo assim, o Brasil jamais se viu ameaçado. E numa bela jogada ofensiva, "achou" o primeiro gol, com uma bomba de Luís Fabiano. No segundo tempo, o mesmo Luís Fabiano fez um gol monumental, com direito a "mano de Dios" e tudo. Elano fez o terceiro e Drogba descontou. Duas coisas foram as mais marcantes do jogo de hoje, e acho que ambas contribuem para trazer o torcedor para o lado da seleção.

A primeira é o fato de Luís Fabiano, o centroavante Luís Fabiano, ter desencantado. Esse cara merece. Ele não é badalado. Ele não se acha um craque de futebol. Ele é "apenas" um goleador, um cara que tem o instinto do gol. É o tipo de cara que não deve conseguir dormir direito quando não faz gol. É um obstinado e faminto leão em busca das suculentas redes adversárias. É a cara da seleção de Dunga. É um guerreiro que valoriza a grandeza da missão que tem.

O segundo aspecto importante do jogo de hoje é que o Brasil enfrentou um time verdadeiramente maldoso. A Costa do Marfim se mostrou a equipe mais violenta, anti-desportiva e mau caráter dessa Copa. Bateu muito, bateu pra machucar mesmo. E, mesmo quem não torce apaixonadamente pela seleção brasileira, sentiu o sangue ferver, sentiu vontade de entrar em campo e dar uma voadora nos jogadores marfinenses. Isso criou uma identidade, nos fez torcer de verdade pelo Brasil. Nesse sentido, a Costa do Marfim serviu para criar um comprometimento do torcedor para com o time do Brasil.

Agora, aguardamos a sequência de uma Copa pródiga em jogos ruins. Brasil e Portugal, em tese, deve ser um jogo interessantíssimo. Em tese. Porque realmente muitos jogos que criaram enormes expectativas acabaram sendo um constrangedor reino da mediocridade. Tomara que esta Copa melhore. Que brasileiros e lusitanos contribuam para isso. Pelo bem do futebol.

Nenhum comentário: