quarta-feira, 23 de junho de 2010

Cintilando

Este momento é bastante diferente, minha querida. Positivamente diferente. Posso dispensar as entrelinhas. Posso gritar aos quatro ventos tudo o que sinto por ti. Estou livre. Estou leve. Estou feliz.

Sinto-me transbordando de pura alegria. Foi-se a fumaça. Foi-se a neblina. Tudo está claro. Consigo, enfim, respirar. A verdade reveste-se de beleza. Sinto a tua presença. Tu, minha linda, estás cintilando em meu peito. Cintilando... Pois é... Desejo cintilar cada vez mais.

Tenhas a certeza de que estou te abraçando forte. Nossas almas, tal qual um quebra-cabeças dos mais complexos, se encaixam. Daqui a pouco poderão se transformar numa só energia, que nos fortaleça e nos faça mais felizes e completos.

Me sinto vivo. Sinto, através de ti, toda a motivação de que preciso para seguir. Expurgo os teus medos, e os meus também. Podemos, sim, nos entregar. Podemos, sim, fazer valer a pena. E bem sabes que tu vales a pena, mais do que todo o ouro, mais do que todo o prestígio deste mundo.

Quero compartilhar minha integridade contigo. Quero sentir junto contigo. Quero respirar no teu tempo, o teu ar. Hoje, vejo que a vida pode ser doce, e que a esperança jamais fora utópica, mesmo quando me senti mais fraco e beirei à desistência de tudo. Hoje vejo que tenho o direito de ser feliz.

Acordei, mas ainda estou sonhando. O dia lá fora está lindo, como nunca antes esteve. A atmosfera, o ar, tudo está diferente. Parece que todos estão alegres, cheios de luz. E o sol está mais dourado, brilhante, luminoso do que nunca. Será o sol ou o teu sorriso?

Nenhum comentário: