domingo, 20 de dezembro de 2009

O Mundo é do Barça

Após três anos da frustração da perda do Mundial Interclubes para o Inter, o Barcelona conquistou, ontem, a competição frente ao Estudiantes de La Plata. O time catalão junta-se ao colorado, ao Corinthians, ao São Paulo, ao Milan e ao Manchester United no seleto grupo de clubes Campeões do Mundo FIFA.

Não foi barbada. Aliás, de uma vez por todas, os paga-pau do futebol europeu das bandas tupiniquins tem que botar na cabeça: o futebol europeu não é a oitava maravilha do mundo. Nunca ganhará de um Campeão da América no mole. A Europa tem o dinheiro. Mas a América tem uma fonte inesgotável de novos talentos futebolísticos. Vende, mas sempre cria mais gente boa.

Se olharmos o histórico dos Mundiais FIFA, veremos que, primeiramente, os dois continentes se igualam em número de títulos. São três sul-americanos (os três brasileiros, por sinal), e três europeus. E os confrontos sempre foram equilibrados. Em 2000, a final foi entre brasileiros: a Europa, representada então por Manchester United e Real Madrid, nem ciscou. Na retomada da competição, em 2005, o São Paulo superou o Liverpool por 1 a 0. Em 2006, o Inter fez o inesquecível 1 a 0 no Barça, no histórico gol de Gabiru. Em 2007, o confronto menos equilibrado: 4 a 2 para o Milan sobre o Boca; mesmo assim, quem viu o jogo sabe que a equipe italiana teve muito trabalho, e só embalou no jogo a partir da metade do segundo tempo, onde, aí sim, deu um vareio no time da Bombonera. No ano passado, o Manchester United, de fraldão, fez 1 a 0 na LDU, com gol de Rooney. Agora, o Barça venceu o Estudiantes, que até os 43 do segundo tempo era Campeão do Mundo, somente na prorrogação.

No primeiro tempo, a equipe argentina teve total controle do jogo. Apesar da maior posse de bola do time de Messi, Ibrahimovic e Henry, a área do Estudiantes foi pouquíssimas vezes adentrada. Aliás, diga-se uma coisa de passagem: se Alecsandro por aqui teve seus dias que se achava Ibrahimovic, o jogador sueco ontem teve seu dia de Alecsandro. Que atuação fraca! E foi no primeiro tempo que o time Campeão da América abriu o marcador, com o ótimo centroavante Boselli, de cabeça, no meio da zaga do Barça.

No segundo tempo, aí sim, o time espanhol passou a realmente pressionar. Pedro e Jeffrey tocaram fogo no jogo. Mas o time argentino se segurou com competência. Até os 43 minutos, quando Pedro empatou. Aí, na prorrogação, restava ao Estudiantes tentar arrastar a partida para a prorrogação. O extraordinário Veron, com 34 anos nas costas, já não conseguia ser o centro nevrálgico dos argentinos. Então, Messi, o apagado Messi, no segundo tempo do período extra, fez, de peito, o gol do título catalão. Valente, o Estudiantes ainda ameaçou nas bolas paradas, em que todo o time desesperadamente dirigia-se para a área. Em vão. O gol salvador não saiu.

O Barcelona é o novo Campeão do Mundo. Campeão do Mundo FIFA.

Nenhum comentário: