segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Excursões

Uma das coisas que eu mais odiava na minha infância eram as excursões escolares. Era um negócio absolutamente sem sentido. Um bando de criança idiota fazendo bagunça e todo o tipo de imbecilidade dentro de um ônibus.

E aquele clima pré-saída, hein? Mães, Marias do Bairro de todos os tipos e para todos os gostos na porta do ônibus, às vezes chorando porque seu "anjinho" ia sair... Por um dia! Era mais fácil aquelas pestes fazerem mal a alguém do que serem maltratadas! Há as exceções, lógica e obviamente. Mas são isso, e nada mais: exceções.

A verdade é que criança, principalmente guri, sempre tem uma fase de pré-adolescência insuportável. São pragas prontas para sacanear tudo e todos. Criança é pura até certa altura da vida. Depois, vira um ser absolutamente cruel e perverso, daquele tipo que dá vontade de dar uma voadora e depois uns chutes na cabeça. Também vivi essa fase, ora bolas. Falo com conhecimento de causa. Com a maturidade, as coisas se regulam. Não somos mais nem pretos nem brancos. Nem puros nem demoníacos. Nos tornamos mais equilibrados. Uns mais pra lá, outros mais pra cá, é bem verdade.

Excursões infanto-juvenis são tão somente a oportunidade do afloramento da idiotice humana. Música ruim, chinelos, chulé, pés feios, farelo nos bancos da condução, deboches grotescos, putaria... Por isso que quando passo na frente de um colégio em dia de excursão, eu penso: que bela merda!

Nenhum comentário: