quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Direto e reto

Muita frescura essa história do glorioso lateral direito Nei. O empresário diz que ele está mais perto do Grêmio. Que vá para o Grêmio, então! Vai jogar contra o Araranguape e o Ananindeua. Eu, particularmente, estou me lixando. Cagando e andando.

Num ano de Libertadores, pré-requisito obrigatório para qualquer jogador do Inter é QUERER jogar no Inter. Neguinho que quer fazer cu doce, que se vá para as bandas da Azenha ou para os quintos do inferno.

O Inter não deixará de ser o Inter por não contratar um lateralzinho que só fez sucesso(cá entre nós, relativo, relativíssimo) no medíocre Atlético Paranaense. Nei não se tornará um fenômeno da posição, seja no Grêmio, no Inter ou no Manchester United.

Tá na hora de os clubes deixarem de ser reféns de empresários. Nei não quer jogar a Libertadores pelo Inter? Não joga! Certamente vai ter uma penca de atletas querendo. Nei, o fantástico e inigualável Nei quer jogar no Grêmio? Que jogue, ora bolas. E tome uma série de lambadas em Gre-Nais, assim como foi a tônica do 2009 azul.

Na boa, tô de saco cheio de jogador medíocre enchendo o saco para assinar um contrato. Quer, quer. Não quer, desocupa a moita e vai fazer merda bem longe daqui. Eis a lógica que devia ser seguida no futebol e na vida.

Nenhum comentário: