terça-feira, 10 de novembro de 2009

Senhores salvadores, salvadores senhores

Senhores, caros senhores! A pauta do dia é vocês, meus senhores! Manipulem, dirijam as suas revoluções, meus companheiros! Levem as massas despossuídas e descerebradas à glória! Aleluia! Aleluia!

Embebedem, senhores, seus egos. Inflem-se da pureza proporcionada pela vontade de poder. Sejam mais, sejam tudo, sejam deuses, sejam o futuro e a vitória da humanidade, meus senhores. Empanturrem-se de gordurosa satisfação. Liderem, senhores, essas almas famintas d'água, sedentas por pão.

Falseiem, se necessário, meus senhores. Raposas, lobos e cordeiros são a mesma coisa. Ora, ora. Não quero aqui estragar seus belos discursos, seus nobres sentimentos altruístas. Caríssimos e respeitáveis senhores de tenra idade, vocês, ou vossas majestades, são a salvação. Tudo o que os apequenados e abandonados ao relento esperavam. Levem-nos à luz, senhores! Levem-nos à plenitude da existência, à vigorosa honra da derrubada dos perversos moinhos de vento!

Sejam, senhores, a minha verdade. Mais: sejam a verdade em si, una, absoluta. Porque eu, caros senhores, conheço, e muito bem, as suas verdades. Longe de mim a intenção de contrapor a pureza da determinação virtuosa. Não quero, não mesmo, afrontar suas vaidades. E seria tão e tão previsível, um tanto cruel, insano, leviano, além de absurdamente racional, chamá-los de oportunistas... Ah, vivos, vivíssimos senhores... Viva às suas velhas novidades. Revolução! Agora, em câmera lenta, com lágrimas nos olhos, sangue no canto da boca, em expressão hollywoodiana: re... vo... lu... ção!...!...!...!

Ah, caríssimos senhores, curvo-me perante seu visionarismo e cabeças erguidas. Curvo-me às sangrentas cabeças ostentadas como dignos troféus em suas mãos suadas. Oh, tristeza, sabedoria que não alcanço. Não consigo alcançar. Levem-me, fraco que sou, fraco que estou, humano que ainda sou, à derradeira glória libertadora.

Pois bem, caríssimos senhores, voltemos a nós mesmos, ao nosso chão. Sentem-se em suas carteiras e coloquem suas mediocridades na rinha. O show vai começar.

Nenhum comentário: