quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Retomada

Hoje à noite, no Beira-Rio, começa a "Era Mário Sérgio" no comando do Inter. Acima de tudo, o jogo contra o Náutico deve marcar uma retomada. É óbvio que não se verá grandes brilhaturas táticas, uma mecânica de jogo irretocável, um time que encha os olhos do início ao fim do jogo. Tudo o que se pode esperar e exigir é uma nova postura da equipe. Ah, uma nova postura...Justificar
A postura hesitante, até mesmo covarde dessa equipe sob o comando de Tite, terá que ser trocada por uma postura mais arrojada, não porra-louca, mas de determinação, de busca intensa pela vitória. O Inter dos últimos meses parecia conformado, indolente, como se nada dependesse da atitude dos jogadores que entravam em campo. Mário Sérgio já deu mostras que não vai aceitar palhaçadas e panelas no vestiário. Cortou Sorondo que, diz-se, estava contaminando negativamente o ambiente entre os atletas. E, pelo que conhecemos do novo treinador, cortará quem mais estiver fora de uma conduta aceitável no relacionamento interno.

E o elenco, o que quer, afinal? Bom, se quer conquistar uma vaga na Libertadores e ter um fim de ano minimamente digno, o time colorado tem que voltar a ter dimensionadas para si mesmo sua capacidade e sua qualidade. Não basta entrar em campo. Tem que jogar. Tem que se doar. Tem que se movimentar. Tem que lutar.

Convenhamos, o jogo contra o Náutico é uma barbada. Aliás, deixa eu reformular: se o Inter quiser, e fizer por onde, o jogo contra o Náutico é uma barbada. Não é desrespeito nem presunção. Muito antes pelo contrário: pressuponho que o Inter tenha que ter fome de vitória para ganhar bem, e para ter fome de vitória é indispensável que se respeite o time adversário. Entretanto, se o colorado entrar focado, minimizando erros e maximizando a concentração, tenho certeza absoluta: passa por cima do time pernambucano. E não pode ser diferente. Tudo o que esses jogadores tem de fazer é jogar o que sabem.

Nenhum comentário: