quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Nova atitude

A vitória colorada ontem, como era de se esperar, não foi brilhante. Não é de uma hora para outra que Mário Sérgio dará padrão de jogo à equipe. Mas se viu, isso sim, uma mudança de atitude muito forte da equipe. O Inter foi mais determinado do que vinha sendo. O Inter foi mais objetivo do que vinha sendo. E, assim, ganhou.

Tecnicamente, o time esteve cambaleante. A defesa vacilou algumas vezes, e o meio de campo ainda carece de organicidade. Mas dois jogadores fizeram a diferença. Dois jogadores que vinham igualmente mal. Dois jogadores que desequilibraram de formas diferentes.

D'alessandro foi tudo o que sabe, tudo o que pode. É craque. Jogou quase como um atacante, cumprindo papel semelhante ao que Alex cumpria no ano passado. E, talvez animado com a chegada de um novo treinador, jogou demais. Esteve ligadíssimo o tempo todo, fez gol de falta, criou uma penca de jogadas ofensivas. Não passou nem perto do D'ale dispersivo, preguiçoso, de má vontade dos últimos tempos. Se o despertar de D'alessandro não for um espasmo, e perdurar para o resto do campeonato, sem dúvida nenhuma, o Inter ganhará vida nova no Brasileirão.

Alecsandro, sozinho no ataque, pelo menos no papel, fez o que se espera de um centroavante. Marcou presença na área, trombou, finalizou, errou, acertou, e foi premiado com dois gols. Esse é o ofício do camisa nove. Centroavante não é pago pra jogar bem. É pago pra fazer gols. É isso, nada mais do que isso, que se exige desta figura. Alecsandro, quando é Alecsandro, é decisivo. Alecsandro, quando é Alecbrahimovic, é patético. Que continue, ora pois, sendo Alecsandro.

A principal, e talvez única, missão da noite de ontem, foi cumprida. O Inter ganhou do Náutico. Não importa se teve problemas defensivos, se não teve o outrora propalado equilíbrio adenorbacchiano. Ganhou. Simples assim. E o momento exige exatamente isso. Vitória atrás de vitória. Três pontos atrás de três pontos. O cenário atual clama por pragmatismo. Esqueçamos, por hora, o bom futebol. Exijamos, somente e tão somente, resultados. Jogar bem é vencer. É disso que o Inter mais precisa. O Inter venceu. Logo, jogou bem.

Nenhum comentário: