sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Efeito retardado

Cogita-se, em caso de derrota no domingo, que o Inter demita Tite. Seria o tipo de decisão da qual não se pode, racionalmente, discordar. Tite chegou ao seu limite. Não consegue tirar mais nada do colorado.

Não sou daqueles que consideram Adenor Bacchi uma desgraça de treinador. Também não me filio às teorias conspiratórias de gremismo do técnico do Inter. Simplesmente, ele não tem mais ambiente. Chega um ponto em que tudo que um profissional faz deixa de ter efeito. É a chamada "fadiga dos metais". Tão enfadonhas entrevistas não devem variar muito no vestiário colorado. O discurso titeano não cola mais junto à torcida. Provavelmente, não cole mais junto ao grupo de jogadores.

Além de tudo isso, o tio Adenor não se ajuda. Não dá sequência a nenhum tipo de convicção. Insiste com erros óbvios. Tira da cartola coelhos pra lá de conhecidos. Daqueles que até as traves do Beira-Rio sabem que não vão solucionar nada. E assim, nesse vai-que-não-vai-que-tô-indo-mas-não fui, as perspectivas de título acabaram. O máximo que o Inter pode querer a essas alturas, é chegar à Libertadores. Pouco, muito pouco para as ambições que o colorado (pelo menos a sua torcida) tem.

Poderia ter sido diferente se as mudanças tivessem sido feitas mais cedo. Tipo, quando Muricy e Luxemburgo estavam dando sopa no mercado. Mas não foi. Especula-se o nome de Luxa para treinador do Inter na próxima temporada. Muita gente rejeita esse nome. Não é o meu caso. É bem verdade que os últimos trabalhos de Luxemburgo não passam de medianos. Mas os elencos por ele dirigidos, também não eram, assim, uma Brastemp.

No Inter, um clube estruturado, com um elenco recheado de grandes jogadores, Vanderlei Luxemburgo poderia reencontrar sua motivação profissional. Luxa é um cara extremamente vaidoso, todos sabemos. Exatamente por isso, com um grande elenco, ele iria ser o melhor que pode ser: o Luxemburgo ambicioso, presunçoso, meio mala, mas, acima de tudo, vencedor, campeão.

Comecemos a pensar, pois então, em 2010. Com um treinador de ponta, pode dar samba.

Nenhum comentário: