domingo, 30 de agosto de 2009

Reencontro

A partida do final dessa tarde no Beira-Rio marca o reencontro da torcida colorada com Fernandão. O capitão planeta foi o maior jogador da história do Inter, o líder da era mais vitoriosa do clube. É um ídolo intocável na galeria de grandes nomes do Sport Club Internacional.

Mas Fernandão é passado para o Inter. E o Inter é passado para Fernandão. E ele deixou isso bem claro quando declarou que comemorará se marcar gols contra o colorado. Por isso, hoje é dia de a torcida deixar qualquer sentimentalismo em relação a Fernandão de lado. Não há porque ovacioná-lo antes do jogo. Talvez depois, e se o Inter ganhar, a torcida deva fazer algum tipo de manifestação carinhosa. E só. Certa feita, o colorado prestou uma homenagem a Gamarra quando este jogava no Corinthians, antes de uma partida entre Inter e os amigos de Zveiter. E depois, no jogo, adivinhem: um a um, e o gol deles marcado por Gamarra!

O Internacional é maior do que qualquer indivíduo. A paixão da torcida colorada é pelo Inter. Pessoas são pura e simplesmente meios para elevar o Internacional. É o clube que deve ser valorizado, acima de qualquer personalismo. E hoje Fernandão é adversário. Está do outro lado da trincheira. No jogo de hoje, Fernandão nos é hostil, e nós, colorados, devemos ser hostis a Fernandão. O jogo de hoje não é festa comemorativa de nada. Vale três pontos contra um adversário direto.

Ocasiões para saudar Fernandão não faltarão. Mas hoje, principalmente antes e durante o jogo, ele é o outro, o intruso, o hóspede indesejado. E assim terá de ser tratado. Ou alguém acha que se Fernandão se encontrar cara a cara com Lauro vai hesitar, um segundo que seja, em fuzilar a meta colorada?

Hoje Fernandão estará de verde. E o Inter, caros leitores, é vermelho.

Nenhum comentário: