quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Gostinho especial

A partida de hoje contra o Corinthians não é uma revanche. Não há nada, absolutamente nada, que remeta ao ambiente da final da Copa do Brasil. Hoje, há uma diferença abissal entre as duas equipes. Inegavelmente.

O Inter vai desfalcado, é bem verdade. Principalmente Kléber é um desfalque a se sentir, já que Marcelo Cordeiro até hoje não se afirmou como um reserva confiável, embora tenha lá seus bons momentos. Mas em relação aos outros desfalques, os mesmos permitem inclusive um acréscimo na média geral do time. Taison, apesar do crescimento, não está em boa fase, e será bem substituído por Bolaños. E Índio lesionado, com todo o respeito que me merece o zagueiro campeão do mundo, não é desfalque: é reforço.

O Corinthians, glorioso campeão da não menos gloriosa Copa do Brasil, é um verdadeiro arremedo de time. Perdeu jogadores importantes, não está com Ronaldo adoro-um-traveco-pauzudo Fenômeno, e ainda não contará com o goleiro/imbecil Felipe e com o bom zagueiro William. São desfalques consideráveis.

Mesmo não sendo exatamente uma revanche (quem sabe aconteça na Libertadores do próximo ano?), e considerando o enfraquecimento corintiano, não posso negar que vencer hoje terá um gostinho especial. Se der pra tocar uns quatro, tanto melhor. Em futebol não existe peninha. Muito menos daqueles que levaram um Campeonato Brasileiro na mão grande.

Então, se der pra passar por cima do Corinthians, que assim seja. Caso não seja possível, que pelo menos o Inter leve os três pontos, com gol de mão em impedimento, aos 48 do segundo tempo. Pra mim, tá perfeito.

Afinal, ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.

Nenhum comentário: