sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Embriaguez

Estou embriagado. Com isso, sinto-me absolutamente livre de erros de digitação ou de incongruências teóricas. Que bom, afinal!

O trago me deixa assim, um tanto livre, um tanto sem ter o que dizer, outro tanto com tudo para dizer. É da vida. Vou simplesmente relaxar e gozar, tal qual uma Marta Suplicy violentada nos recôncavos de um mato qualquer.

Não há necessidade alguma de ser coerente. É quase um exercício de livre associação. Bundas, Inter, desafios profissionais, futuro: tudo isso povoa minha mente, não necessariamente nessa ordem.

O álcool não me deixa escrever nada que seja minimamente lógico. Mas isso é bom!

Devo ser sincero. Estou tão somente enchendo linguiça. Talvez por algum motivo moral. Talvez por algum tipo de satisfação pessoal inconsciente. Mas estou aqui, leve, um tanto feliz, um tanto lento, uma tanto sonolento.

Amanhã é um novo dia.

Nenhum comentário: