quarta-feira, 10 de junho de 2009

Cala a boca, Kléber!

A polêmica envolvendo as expulsões de Lauro e Kléber no jogo de domingo no Mineirão continuam. O jogador do Cruzeiro afirmou que o pisão que deu em Lauro "acontece", e que o máximo que poderia acontecer é "estragar o esmalte". Muito infeliz a declaração de Kléber. Aliás, se ele fala em esmalte, deve estar se baseando em sua própria atitude. Afinal, Lauro já negou veementemente que use tal recurso para embelezar os pés.

A verdade é que esse jogador do Cruzeiro é um baita de um encrenqueiro. É bom jogador. Não mais do que isso. E uma mala completa dentro de campo. Joga os cotovelos para tudo que é lado, entra de sola, por cima da bola em um monte de jogadas, e quando leva o contraponto fica chorando feito molequinho mimado. O estilinho mamãe-tô-brabinho de Kléber já encheu o saco. Jogasse metade do que bate e fala, seria a estrela do Manchester United. Mas não, ele não joga tanto assim.

Lauro, por sua vez, foi de uma nobreza absoluta ao dizer que não deseja o mal a Kléber. Todas as entrevistas do goleiro colorado foram muito lúcidas, ao contrário do que acontece com o Edmundo de Birigui. Lauro não entrou nas provocações e agiu com extrema superioridade, deixando o atacante celeste chorando e berrando sozinho, feito uma bicha esquizofrênica. É assim que se faz, Lauro. Parabéns.

Nenhum comentário: