domingo, 5 de abril de 2009

Previsível

Não adianta. Gre-Nal está ficando cada vez mais previsível. É um samba de uma nota só. Os times entram em campo, o Grêmio sua sangue, cria chances, e o Inter vai lá, com sua qualidade visivelmente superior, faz os gols de maneira quase blasé, o jogo termina, e Celso Roth e os dirigentes do imortal-copero-peleador-argentino-de-boutique-que-não-ganha-títulos-e-comemora-vagas-para-competições-que-não-ganha falam um monte de bobagem.
Quem ouve Roth falando pensa que se trata de um treinador multicampeão, tipo Ferguson ou Mourinho, e que o Grêmio é o Manchester ou a Inter de Milão. Quem ouve Roth e os dirigentes gremistas pensa que o tricolor da Azenha está por cima da carne seca. Isso me lembra o mundo animal, aqueles bichinhos que comem carniça e ficam rindo. Como é que se chamam? Ah, isso, as hienas. O Grêmio não ganha nada importante há horas. Fato. A não ser que considerem Gauchão importante. Mas, não, o imortal não cairia nessa contradição, de considerar nessa contagem o estadual, esse título tão incômodo, que eles não queriam ganhar por estarem na Libertadores jogando contra potências mundiais como Aurora e Boyacá Chicó.
Acabo de ouvir, enquanto escrevo este texto, que Celso Roth caiu... Oh, ele caiu... O treinador que após o jogo de hoje disse que importante era Libertadores e que ironicamente parabenizou o Inter pela vitória no Gauchão está fora da Libertadores, vejam só! Desejo boa sorte a Celso Roth, esse gênio que o Grêmio não soube compreender. E ao clube que contratá-lo. Do fundo do coração.

Nenhum comentário: