sábado, 11 de abril de 2009

Playboy

Não levou nem uma semana. Leio no site do Terra que Priscila, uma das gostosonas do Big Brother, fechou contrato com a Playboy. É o BBB, sempre fornecendo carne pro açougue da Playboy. Claro, a mais famosa revista masculina do mundo faz a festa da macharada. Já fez a minha festa muitas vezes na adolescência. É uma instituição da adolescência.
Hoje em dia, com tudo digitalizado, as coisas ficam bem mais fáceis. A Playboy se desmistificou. Antes ela era de relativamente difícil acesso.
- Bah, tu nem sabe, comprei a Playboy da fulana!
- Sério? Nossa! Me empresta por uns dias?
- Tá bom, tá bom... Só não vai me grudar as páginas...
Hoje em dia a Playboy se democratizou. Entre os navegadores, claro. O povão ainda não possui tal facilidade de acesso. Mas, mesmo assim, a democratização da revista é evidente. Para desgraça da mesma, que está fadada a vender cada vez menos. A não ser que crie um fato novo. Não sejamos hipócritas, todos, inclusive eu, vão querer ver a Priscila peladinha. Sem pagar nada! Cuidado apenas para não pegar um cavalo de tróia por aí. A moça, que para meu espanto, li que é jornalista (teria ela cursado por correio?), evidentemente posaria para a Playboy. Era tão certo quanto dois e dois são quatro. Ou vinte e dois. Bem, o que importa é que a moça de bons atributos físicos vai fazer a alegria da marmanjada, colocar uma bela duma grana no bolso (ou na poupança, quem sabe? Grande poupança...), e fazer o que aparentemente mais gosta e tem o dom para fazer: mostrar o corpo para quem quiser ver, sem preconceitos de cor, idade, renda ou etnia.

Nenhum comentário: