quarta-feira, 22 de abril de 2009

Acabou o verão

Parece que o verão 2009 acabou. A temperatura baixou. As roupas das mulheres ficaram mais comportadas. A gripe se faz presente em cada centímetro do meu corpo. Antigamente, tinha pavor do verão. Afinal, ficava derretendo sem nenhuma possibilidade de defesa. O melhor do verão era a praia, um monte de areia e sal grudando no corpo, e uma sensação de inhaca permanente. Já o inverno sempre permitiu uma defesa mais tranquila. Bastava encasacar-se todo, dormir enrolado em dois edredons, e tava tudo resolvido.
Alguns anos e infecções de garganta depois, mudei um pouco minha opinião em relação à dicotomia verão-inverno. O grude da praia continua o mesmo. A insuportabilidade do calor também. Mas o verão tem muitas belezas a oferecer. Faltava ver isso, o lado bom da estação mais quente do ano. Sainhas, coxinhas, blusinhas, tudo serve como um maravilhoso colírio aos olhos masculinos.
O inverno, por sua vez, é uma estação carrancuda. Não mais se notam as virtudes femininas. Todos os talentos físicos das moças são escondidos. Fico triste com isso. Esse tipo de coisa me faz perder o sono. Todo aquele ritmo de festa, aquela coisa caliente, contagiante, se esvai melancolicamente pelo ar. Os espirros tomam conta da vida. Entre uns atchins e outros, resta providenciar um lugar quentinho, um parzinho legal, um edredonzinho. É o que há de bom no mar de tristezas que se transforma o ambiente de belos corpos ocultos. Tentemos, pois, desocultá-los.

Nenhum comentário: