quinta-feira, 5 de março de 2009

Sufoco

Foi no sufoco. Mas o Inter fez o que tinha que fazer. Eliminou o União Rondonópolis, no Beira-Rio. Agora, pensa no Guarani de Campinas. Jogo duro. O Inter vai pegar um time limitado tecnicamente, mas que tem tradição. Vai ter que jogar mais do que jogou contra o time do Mato Grosso.
No jogo de ontem, a coisa começou errada na não escalação de Sandro. Jogando com dois segundos volantes, sem um cara da primeira função, o meio de campo do Inter fica perdidinho. No segundo tempo, Tite, aí sim, na necessidade de buscar gols, colocou Giuliano no lugar de Andrezinho. O garoto não foi bem, errou praticamente tudo que tentou. De positivo, fica o fato de que não se omitiu, assim como D'alessandro, que foi mal tecnicamente mas se dedicou bastante ao jogo. A pressão do Inter, partindo pra cima do União Rondonópolis surtiu efeito, com dois gols: um de Índio, o zagueiro artilheiro, e outro de Alecsandro, com muito oportunismo e mostrando que pode ser uma alternativa muito interessante. No final do jogo, mais sufoco, o Rondonópolis batendo faltas e escanteios com perigo, e a defesa tirando do jeito que dava. Mas o desfecho foi feliz para a nação colorada.
Continuamos na Copa do Brasil. Sempre digo que não tenho muito gosto por essa competição. Mas vale uma taça. Vale uma vaga na próxima Libertadores. Por isso, é a competição mais importante do momento para o Inter. E, para ganhá-la, é importante que se tenha em campo uma escalação mais racional do que a que entrou em campo ontem. A volta de Sandro no meio campo seria um bom começo...

Nenhum comentário: