quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Vexame

Não há outra palavra pra definir a derrota do Inter em Rondonópolis: vexame. O colorado dominou o primeiro tempo, sem, no entanto, fazer gols ou ser mais efetivo. No segundo tempo, jogou um pouco menos que nada, e acabou perdendo a partida. Não acredito que o jogo vá ter um reflexo prático no rumo do Inter na Copa do Brasil. O Inter vai passar pelo União. A repercussão é moral. O fiasco do Inter repercutirá nacionalmente.
Estou repensando a minha opinião a respeito da falta de necessidade de um primeiro volante de ofício. O futebol de Guiñazu cai dramaticamente jogando muito centralizado, mais preso na marcação. Talvez seja necessária a entrada de Sandro, e a saída de um dos volantes, ou mesmo de Taison. Eu tiraria Taison, que vem jogando demais, mas que poderia ser o cara pra entrar e incendiar os jogos, como era o Renteria em 2006. Além disso, Bolívar vem jogando um futebol constrangedor na direita. Arílton, ou mesmo Danilo Silva, pedem passagem.
Pelo menos aconteceu agora, num momento contornável. Pior seria se fosse mais adiante a percepção dos erros, em uma situação irreversível. Fica apenas a marca do fiasco. Não esqueçamos, no ano de 2006 o Inter acertou o time após perder um Gauchão em pleno Beira-Rio para o Grêmio, recém promovido da segundona. E o final da história todo mundo já conhece...

Nenhum comentário: