quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Trotes

Estava vendo alguns casos de trotes abusivos contra calouros em universidades pelo Brasil. E acho realmente impressionante, e até certo ponto, estúpido. Há trotes sadios, e que os próprios calouros gostam. Mas há também os trotes humilhantes, que realmente abusam das pessoas.
Alguns atos são animalescos, vão contra qualquer tipo de civilidade, são ritos de passagem descabidos. Sou frontalmente contra qualquer humilhação. Sou contra a invasão dos direitos de qualquer ser humano. A submissão pela força, a imposição, são elementos condenáveis, e afetam diretamente o livre arbítrio do outro. Se houvesse a alternativa de escolha, de querer ou não participar desse tipo de evento, tudo bem. Porque, sim, há, incrivelmente, quem goste desse tipo de ritual. Mas, e os que não gostam, ou não querem, deveriam ter o direito de não querer.
Há sempre o argumento que diz respeito às tradições. Talvez seja o mais respeitável dos argumentos. Mesmo assim, tradições podem e devem ser moldadas com o tempo. A verdade é que só se mantêm tradições que são convenientes manter. E esse tipo de tradição ajuda a externar o lado animal, irracional, do homem. Acho profundamente lamentável.
Assim, tudo é cabível dentro de um nível de racionalidade. Vivemos num mundo civilizado (ou que pelo menos deveria sê-lo) e devemos aumentar o respeito pelo outro. Ser ético nas ações, fazer o certo, por mais que corra contra a onda, ainda é o que mais faz sentido. Para se viver bem não há a necessidade de se humilhar ninguém, nem de prejudicar quem quer que seja. Caminhemos para uma verdadeira civilidade.

Nenhum comentário: