terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Celebridades instantâneas

Reality shows são campo propício para o surgimento de celebridades. Instantâneas, claro. É verdade que há casos de alguns que têm algum talento e permanecem na mídia, como Grazi Massafera ou Sabrina Sato (a última, com o talento de aliar uma bunda boa com uma cara-de-pau inigualável para se submeter ao ridículo). Mas a esmagadora maioria não se sustenta. E se ilude com uma fama fugaz como fumaça de cigarro.
As celebridades instantâneas caracterizam-se por ter rostinhos e corpinhos bonitos. Só. Em termos de Q.I., a maioria fica abaixo de um cacho de uvas. E programas como o Big Brother fazem praticamente uma apologia à imbecilidade. Muita malhação e ausência de cérebro. Assim que acaba sendo.
Estética acima de tudo. A onda é ser legalzão! Como diria D2, em "Desabafo", "celebridade é artista, artista que não faz arte". Talento? Inteligência? Eita conceitos ultrapassados e antiquados! Superexposição. Esse que é o canal! Infelizmente, esse tipo de fórmula, que num primeiro momento é interessante, mas, com o passar do tempo mostra-se com uma pobreza inigualável, continua pegando. Ano que vem o Brasil "comemorará" a décima edição do glorioso BBB. Em quem se votou para vereador no ano passado ninguém lembra. Mas o voto para eliminar fulano e ciclano do paredão todo mundo sabe. É o senso cívico e de cidadania do brasileiro. A futilidade está na pauta do dia...

Nenhum comentário: